Paróquia de S. Cristóvão do Muro

Vigararia Trofa/Vila do Conde
Diocese do Porto - Portugal

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

15 DE JANEIRO - DIA DE SANTO AMARO


Conhecido como o advogado das ‘doenças dos ossos’, Santo Amaro é venerado, não só pela população de São Mamede do Coronado, como das freguesias vizinhas.



Horário das Missas no dia 15 de Janeiro
na Igreja Paroquial de São Mamede:
7H00, 11H00 e 19H00


Festejado a 15 de Janeiro, Santo Amaro, Abade - também chamado Mauro - nasceu em Roma, filho de um Senador Romano, no ano 512.

Foi aos doze anos que, face a um sonho que interpretou como um chamamento de Deus, manifestou aos seus pais o desejo de ingressar num mosteiro.
O seu pai decidiu que iria para o mosteiro de Subiaco, dado que era amigo do seu abade, Bento de Núrsia, venerado pela Igreja como o “pai dos monges ocidentais”.

Bento de Núrsia, ou São Bento (480 – 547), foi o monge fundador da Ordem Beneditina, uma das maiores ordens monásticas do mundo. Foi também o criador da Regra de São Bento, o mais importante conjunto de deveres e normas estruturantes da vida monástica, adoptadas por outras ordens religiosas, nomeadamente a Ordem de Cister.


Com ele foi ainda confiado a São Bento o seu primo Plácido, de sete anos, que também veio a ser canonizado e é celebrado no mesmo dia.

Um dia, São Bento teve uma visão de Plácido afogando-se no ribeiro onde tinha ido buscar água. De imediato, São Bento chama Amaro para que este tentasse salvar Plácido. Amaro concentrou-se de tal maneira e agiu tão rapidamente, que nem se apercebeu que foi andando sobre as águas que puxou o primo pelos cabelos e o levou para a terra firme.
Foi o primeiro prodígio de Amaro, que salvou o primo andando sobre as águas, como fez São Pedro para atender ao chamamento do Mestre, andando no mar da Galileia.

Amaro tornou-se o discípulo predilecto de São Bento e acompanhou-o para o mosteiro de Montecassino, quando lá se fixaram, sendo nomeado o primeiro superior e administrador. Sobre Amaro, os registos mostram que era um homem virtuoso, modelo de obediência, humildade e caridade.

Em 535 quando São Bento recebeu o convite para abrir um mosteiro sob as suas Regras na Gália, actual França, o escolhido para a missão foi Amaro.
O trabalho frutificou tanto que o mosteiro francês deu origem a uma cidade com o seu nome mais propriamente uma Comuna próxima de Paris que tem o seu nome: Saint-Maur-des-Fossés.
Muitos anos depois, também o seu nome foi dado à Congregação Beneditina Francesa de Saint-Maur, uma das mais importantes instituições católicas pela formação de seus monges, que se expandiu por toda a Europa.

A 15 de Janeiro de 584, veio a falecer vítima da peste que assolou o mosteiro.
Foi sepultado na igreja de São Martinho, a mesma em que costumava rezar.
Actualmente suas relíquias estão na Cripta da Capela do Mosteiro de Montecassino em Itália.

Fontes: Mosteiro de Alcobaça, Sociedade de História e de Arqueologia de Saint-Maur-des-Fossés, Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil.



Sem comentários:

Enviar um comentário